Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]


O futuro é um vasto território à espera de ser descoberto. Agora que todas as viagens, físicas e imaginadas, são possíveis, e que ocorrerão sempre que tiverem que ocorrer; os planos todos que não deram certo, porque não há planos que consigam delinear com alguma certeza tudo o que acontece da maneira mais natural possível.

 

Agora que as páginas iniciais de um livro dos quais se gosta de imediato e se sabe que vai gostar ainda mais, foram desfolhadas com toda a premência de quem se quer embriagar nos vastos horizontes que se adivinham.

Sea Watchers Edward Hopper.jpg

 

Está tudo por fazer, estive à espera destes dias para conformar todos os devaneios, todos os anseios. Estive à espera tanto tempo que quase desesperei. Valeu-me acreditar nesse futuro radioso sem ter tido nenhuma garantia ou promessa, por o desejar para além da razoabilidade.

 
É o tempo em que o tempo vale cada instante, em que nada estando resolvido, está tudo controvertido. Este é o tempo em que o tempo é o presente e o futuro é algo que vai ser a continuação do presente. As saudades sentidas do futuro são a realidade do presente. O presente que se apresenta em todo o seu esplendor.
 
Quadro Edward Hopper, Sea Watchers
Fotografia: http://www.canvasreplicas.com/Hopper2.htm

Autoria e outros dados (tags, etc)


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.