Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Máscaras

28.06.14

“Devido ao poder metafísico relacionado às máscaras, sua posse tem fortes implicações políticas. A posse do crânio de um inimigo, [sua] pele ou todos os trajes de um culto estrangeiro (incluindo a máscara) significa a sujeição e expropriação das filiações sobrenaturais de um grupo, deixando-o efetivamente sem defesa. Na América Central, portanto, a função primária das máscaras não parece ter sido nem apagar nem revelar, mas servir como vasos ou repositórios nos quais o númen era momentaneamente contido, para ser colocado em contato com o corpo dos vivos ou dos mortos. As vezes, esse contato transmitia suficiente poder espiritual para que as próprias máscaras fossem consideradas relicários. As máscaras simbolizavam a complexa coexistência de ‘rostos’ possível na fisionomia humana” (9) (imagem acima, detalhe da máscara em mosaico de turquesa a que se atribui representar, entre outros, Quetzalcaotl, Mixteca/Asteca 1200-1519).

Mascaras Astecas, Maias e Incas - Blogue Corpo e Sociedade

Autoria e outros dados (tags, etc)