Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]


Não somos todos feitos da mesma massa. Nem todos vemos o mundo com os mesmos sentidos. A mim calhou-me ser assim como aos outros calhou serem como são.

Certas circunstâncias da vida, as mais traumáticas, desencadeiam ondas de choque que se propagam no tempo e abrem caminhos que essas pessoas exploram (agradeço sinceramente à entidade que me livrou de gostar de jogar a dinheiro).

 Não agradecerei outras, como todos nós.

E coincidências ou não tinha acabado de introduzir num verso I think I'm paranoide, dos Garbage, 

e o rádio streaming lá me pôs a pensar nesta coincidência, ao passar a dita música cantada por essa diva da pop chamada Shirley Manson,

Escolhi uns quantos versos, não poemas, escrita errática, devaneios, histórias, sensações próximas, com o tema maior da malta que escreve, com o tema maior que, em termos biológicos se chama prossecução da espécie, mas em termos humanos significa muito mais.

O Amor e o Resto (o jeito está cá todo), brevemente disponível para Download livre.



Autoria e outros dados (tags, etc)


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.